Amortização de financiamento imobiliário: saiba o que é e confira dicas de como fazer!

Amortização de financiamento imobiliário: saiba o que é e confira dicas de como fazer!

Sobrou uma grana e você está pensando em dar um jeito nas finanças? No caso da amortização de financiamento imobiliário, saiba que dá para usar as suas economias, o 13° salário e até mesmo os recursos do seu FGTS.

Aqui no blog da Melchioretto Sandri já falamos sobre como utilizar o FGTS para financiar um imóvel, mas saiba que também é possível usar esse recurso para dar aquela aliviada nas parcelas do seu financiamento imobiliário.

Hoje, podemos contar com algumas formas de fazer a amortização, no entanto, para optar pela melhor escolha é interessante estar por dentro das tantas opções disponíveis. 

Nesse sentido, preparamos este artigo com o objetivo de esclarecer algumas ideias acerca de amortizar o financiamento imobiliário. Continue a leitura!

O que é a Amortização de financiamento imobiliário?

De uma maneira sucinta e bem objetiva, a amortização se trata de reduzir o valor de uma determinada dívida ou de um financiamento, por meio de pagamentos parciais.

Falando em amortização de financiamento imobiliário, a ideia que se segue é a mesma, realizar uma redução total ou parcial da dívida.

De forma simplificada, após realizar o financiamento do imóvel, você pagará o mesmo em parcelas e, a cada prestação paga você está amortizando o saldo devedor. 

Mas, ainda existem opções em que você acaba recebendo um dinheiro extra – podendo ser até mesmo o saldo do FGTS – que podem ser usados para diminuir a dívida e, é sobre isso que trataremos mais adiante.

Vale enfatizar que a amortização é um direito garantido por lei – consolidado na redação do art. 5º da Lei nº 8.692, de 28/7/1993. Ou seja, os bancos não podem se negar a realizar a operação. E, em caso de recusa, você poderá fazer uma denúncia ao Banco Central.

Como funciona a amortização do financiamento imobiliário?

Amortizar um financiamento imobiliário não é algo muito complicado, mas é preciso ficar atento a alguns pontos.

Se você for utilizar os recursos das contas vinculadas ao FGTS, é necessário prestar atenção em alguns detalhes. Antes de mais nada, é obrigatório que o contrato tenha sido firmado no âmbito do Sistema Financeiro da Habitação (SFH).

Quando realizado o uso do FGTS na amortização, o processo segue as mesmas regras que foram feitas na contratação do financiamento. 

Outro fator para amortizar o financiamento imobiliário com o FGTS é que precisa ter pelo menos três anos – sejam eles consecutivos ou alternados – sob o regime do fundo.

Mas um adendo quanto a esta modalidade é que, no caso de você já ter utilizado o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço anteriormente, terá que esperar um intervalo de dois anos para fazer um novo resgate.

Importante dizer também que, quando feita a amortização, os valores dos juros diminuem, já que parte da dívida foi paga, ou seja, esse cálculo faz com que o valor ou quantidade das parcelas diminuam.

Entretanto, aqui vai uma dica valiosa: faça uma análise minuciosa de suas finanças, planeje para então realizar esta ação com cautela. 

Afinal de contas, o FGTS, como o próprio nome sugere, é um fundo de garantia que protege o trabalhador caso ele fique desempregado, dentre outras situações específicas.

Pagar por menos tempo ou diminuir o valor das parcelas?

Optar por menos parcelas ou um menor tempo de financiamento é uma dúvida recorrente para quem opta por fazer amortização de um financiamento. E a opção mais recomendada é antecipar as parcelas apenas no caso de não estar em um momento financeiro turbulento.

Enfatizando que os juros são cobrados sobre o saldo devedor, deste modo, ao escolher antecipar as parcelas do financiamento, além de quitar a dívida mais rápido, você ainda garante maior economia por eliminar taxas e juros.

Em contrapartida, se você estiver com problemas financeiros, é mais interessante optar pela redução do valor da parcela. Essa opção traz o benefício de um certo alívio no orçamento, logo, fica mais fácil equilibrar as contas – nessa finalidade é possível usar o FGTS a cada 12 meses.

Caso o imóvel tenha sido adquirido de forma conjunta, o valor do FGTS do outro comprador também pode ser usado, o que aumenta as chances de amortização.

Procure também ficar atento ao reajuste da taxa de juros do seu contrato. Em alguns casos, há taxa fixa e, esse valor não se altera, só em alguns casos específicos.

Também existem contratos em que a taxa é reajustada de acordo com a Taxa Selic, considerando a taxa básica de juros. Ou seja, os juros pagos durante o financiamento podem aumentar e diminuir de acordo com essa flutuação.

Nessas situações, optar por amortizar a dívida, mantendo a quantidade de parcelas, mas reduzindo o valor das mesmas é o mais indicado.

Como equilibrar as contas?

Como equilibrar as contas?

Se você tem dívidas a quitar como cartão de crédito e cheque especial – e seus recursos não venham do FGTS – priorize elas, já que elas possuem juros mais elevados.

Caso tenha pensado em usar o cheque-especial para amortizar o seu financiamento, isso definitivamente não é uma boa ideia. O que também não significa que você não possa fazer um empréstimo para amortizar sua dívida – mas que seja para quitar o valor total.

Analise as condições do futuro empréstimo, de modo a considerar se o mesmo é mais vantajoso que o financiamento. No caso de não ser, isso pode apenas prejudicar sua saúde financeira.

Algo a se fazer antes de ir atrás de novas opções de crédito, é achar uma maneira de reduzir o seu custo de vida. A possibilidade de vender alguns bens pode também ser interessante para ter um montante e realizar uma amortização do financiamento imobiliário.

Quais as vantagens da amortização de financiamento imobiliário?

Essa modalidade vai render alguns bons frutos, como é o caso de liberar capital para atividades, desde quitar contas a fazer investimentos.

Muitos optam por um financiamento imobiliário para evitar gastos com aluguel e, ao reduzir o valor das parcelas ou mesmo pagar tudo, o capital que seria gasto com moradia fica livre para ser direcionado a outras finalidades.

Outra vantagem que pode ser percebida ao fazer uma amortização de financiamento imobiliário é uma possível liquidez do imóvel. No caso de querer vender o imóvel, é mais fácil negociar a propriedade já quitada.

Agora que você já tem os detalhes de cada possibilidade para uma amortização de financiamento imobiliário, pode dar os próximos passos com a certeza de fazer um bom negócio. Se você ficou com alguma dúvida sobre o assunto, entre em contato conosco!